Rio de Janeiro e São Paulo são as cidades brasileiras onde mais se caminha

27/10/2016
Rio de Janeiro e São Paulo são as cidades brasileiras onde mais se caminha

A forma de se locomover está mudando em todo o mundo. Basta comparar como as cidades eram projetadas para receber mais carros e como atualmente as alternativas desenvolvidas preveem deslocamentos mais sustentáveis e melhores. Uma das tendências mais disseminadas na atualidade é pensar nos pedestres e nos ciclistas como parte da construção de um futuro com maior mobilidade urbana, atrelada ao meio ambiente e à qualidade de vida.

Um relatório elaborado por uma empresa britânica de engenharia, design e planejamento urbano chamado “Cidades Vivas: rumo a um mundo que anda a pé” mostrou que Rio de Janeiro e São Paulo são as cidades brasileiras onde mais se caminha, ficando em 8º e 12º lugar, respectivamente. O ranking ainda aponta que 48% dos deslocamentos em Istambul, na Turquia, são feitos a pé, enquanto quatro cidades dos Estados Unidos ficaram entre as cinco piores, entre elas Chicago e Los Angeles, esta última com apenas 4% de taxas de caminhadas.

Mas como é possível transformar esses lugares em espaços mais convidativos para pedestres? Além de oferecer uma sinalização eficiente, com semáforos para pedestres e para veículos, além de placas, é necessário que as calçadas estejam em perfeito estado de conservação. Muitas vezes, os locais destinados para andar a pé são estreitos, quebrados e sem acessibilidade para pessoas com deficiência, o que pode, inclusive, provocar acidentes. A segurança nas rotas a pé, com comércio, boa iluminação e circulação de pedestres também são fatores que incentivam mais caminhadas e menos carros nas ruas.

Estimular a caminhada contribui não apenas para a mobilidade e o meio ambiente, como também é uma forma de melhorar a qualidade de vida da população. Isso, porque, ao diminuir o número de carros particulares nas ruas, é possível reduzir o dióxido de carbono emitido pelos automóveis – responsável por problemas ambientais e poluição atmosférica, capaz de matar 800 mil pessoas por ano, segundo dados do Banco Mundial (BIRD).

Na caminhada, é possível melhorar o estresse causado pelo trânsito, emagrecer com saúde, diminuir os riscos de problemas relacionados à hipertensão, colesterol e doenças do coração, principalmente por tirar cidadãos do sedentarismo. Além disso, andar a pé ajuda na prevenção de osteoporose, aumenta a capacidade de os pulmões absorverem oxigênio e combate à insônia.

FONTE: VIVER SEGURO NO TRÂNSITO.

Comente isso! Comentar

  • Não existem comentários ainda, clique em comentar e seja o primeiro!