Encontro avalia ações do Movimento Maio Amarelo

Encontro avalia ações do Movimento Maio Amarelo

O deputado federal Hugo Leal (PSB/RJ) promoveu um encontro, nessa quarta-feira (31) na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, para fazer um balanço das ações referentes ao movimento Maio Amarelo deste ano. Também participaram da reunião o chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes da Polícia Rodoviária Federal, Augustus Cutrim, a assessora de Relações Institucionais do Observatório Nacional de Segurança Viária, Daniela Gurgel, o presidente da Seguradora Líder DPVAT José Ismar Torres, e os deputados federais Christiane Yared (PR/PR), José Stédile (PSB/RS), Magda Moffato (PR/GO) e José Augusto Nalin (PMDB/RJ).

Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro e autor da Lei Seca, o deputado Hugo Leal lembrou que o tema do Maio Amarelo deste ano, "Minha Escolha Faz a Diferença", traz uma reflexão sobre as decisões diárias dos motoristas e pedestres que podem provocar graves acidentes. De acordo com o parlamentar, é preciso reforçar a consciência de que não há acidentes, pois 90% das ocorrências no trânsito têm como motivação falhas humanas. "Os números alarmantes de vítimas são provocados pela imprudência, como dirigir sob efeito de álcool, em alta velocidade, ou desatento, no caso de usar o celular ao volante", ressaltou o parlamentar.

Estudo publicado recentemente pela Organização Mundial de Saúde, mostra que acidentes de trânsito estão entre as principais causas de mortes entre jovens de 10 a 19 anos. A OMS estima que 1,2 milhão de adolescentes morrem por ano no mundo – três mil por dia. Segundo dados de 2015 do Ministério da Saúde, cerca de 45 mil pessoas perdem suas vidas em acidentes de trânsito a cada ano. Na avaliação do deputado Hugo Leal, é preciso destinar os recursos disponíveis em ações eficazes na redução de acidentes de trânsito. "Já ultrapassamos o período de diagnósticos e avaliações. Precisamos de ações efetivas para reduzir os acidentes", afirmou.

Hugo Leal destacou, ainda, que o desafio de tornar o trânsito mais humano e mais seguro não pode se resumir apenas em ações realizadas no mês de maio. Para ele, é preciso mobilização da sociedade para que o Maio Amarelo seja um movimento permanente de conscientização e ações concretas para a redução de acidentes.

Comente isso! Comentar

  • Não existem comentários ainda, clique em comentar e seja o primeiro!