Aumento de carga dos caminhões pode afetar segurança dos motoristas

Aumento de carga dos caminhões pode afetar segurança dos motoristas

Aumento de carga dos caminhões pode afetar segurança dos motoristas

Concessionárias de rodovias dizem que aumento do peso também pode trazer consequências diretas na manutenção das pistas

Fonte: Jornal Nacional

A permissão para que os caminhões circulem com mais peso preocupa quem cuida das rodovias. Eles acham que isso vai criar mais problemas.

O aumento do peso do caminhão terá consequências diretas na manutenção das pistas.
É o que diz a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias. E gasto maior com manutenção tem a ver com pedágio, que pode ficar mais caro para todo mundo.

“Não tem almoço de graça. Quer dizer, então esse custo alguém vai pagar. Então de fato há uma transferência de custos, que sai de um bolso mas outros pagarão, outros arcarão”, diz Ricardo Pinheiro, presidente da ABCR.

As concessionárias dizem também que o aumento do peso pode afetar a segurança dos motoristas. A sobrecarga põe em risco a estrutura do caminhão, comprometendo as manobras nas estradas.

As imagens, feitas em rodovias no interior de São Paulo, mostram como é difícil controlar um caminhão cheio de mercadoria ao fazer uma curva, por exemplo. E não é só o caminhoneiro que corre perigo, quem passa perto também pode sair ferido.

O engenheiro de trânsito Luiz Célio Bottura lembra que o asfalto das cidades também pode sofrer com o excesso de peso.

“Se você tiver o excesso de carga nas rodovias, esse excesso de carga vem para as vias urbanas, que são densamente usadas, tem tubulações embaixo, tem infraestrutura, tem uma série de coisas que vai sofrer”, explica o engenheiro de trânsito Luiz Célio Bottura.

Já a ampliação das áreas de descanso, que devem ser implantadas em cinco anos, foi bem recebida por todos.

“Acho que isso está até dentro do espírito da lei de melhores condições de vida para os motoristas”, afirma Ricardo Pinheiro, presidente da ABCR.

O ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência, disse que a sanção da lei, sem vetos, atende a reivindicações históricas da categoria e valoriza o trabalho do caminhoneiro. Ele disse ainda que espera que a situação das estradas volte ao normal.

“Nós estamos seguros que todas essas medidas asseguram a normalidade da atividade do transporte do país – o que é muito importante – Ampliam a eficiência da nossa atividade de transporte de carga no nosso país e portanto é um ganho econômico muito importante para o país”, afirma o ministro Miguel Rosseto.


Comente isso! Comentar

  • Não existem comentários ainda, clique em comentar e seja o primeiro!