Alckmin volta a defender crime doloso no trânsito

Alckmin volta a defender crime doloso no trânsito

Alckmin volta a defender crime doloso no trânsito

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) voltou a defender ontem que motoristas embriagados que causem mortes no trânsito respondam por homicídio doloso, quando há intenção de matar. O tucano já dizia em 2011 que havia orientado os delegados a interpretar os homicídios desta forma, no entanto, em 2013 e 2014 apenas 0,8% dos acidentes com morte foram registrados como homicídio doloso nas cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) - os demais crimes do tipo foram classificados como culposos, ou seja, sem intenção de matar.
A declaração do governador foi feita durante entrevista coletiva em Jaguariúna para anúncio de um centro de transmissão da Sky (leia mais na página 12), quatro dias após um metalúrgico morrer e duas crianças ficarem feridas em um acidente causado por um servente acusado de embriaguez ao volante, em Hortolândia. Neste caso, o suspeito foi preso e responderá por homicídio doloso.
Em Hortolândia, antes do caso do domingo, o último registro deste tipo de crime foi em 2012. Em entrevista coletiva em Jaguariúna ontem, o governador disse que irá recomendar ao secretário de Justiça, Alexandre Morais, que verifique a questão com os delegados para tentar mudar este cenário.
"É óbvio que uma pessoa embriagada que sai dirigindo e mata alguém tem responsabilidade. É diferente de quando o motorista se envolve em um acidente e não bebeu. O fato da pessoa ter bebido é um agravante importante", disse.
Alckmin afirmou durante uma entrevista no programa Conversa com o Governador, em outubro de 2011, que o Estado estava interpretando como homicídio doloso as mortes causadas por motoristas embriagados. Na época, a Delegacia Seccional de Americana negou que tivesse recebido aquelas orientações. Já a de Campinas afirmou que havia colocado em prática.
ACIDENTE
O servente Adriano de Oliveira, 37, foi preso na tarde do domingo após causar um acidente no Jardim Residencial Firenze, em Hortolândia. Na colisão, o metalúrgico Antonio Gomes da Costa, 47, morreu e as duas filhas dele ficaram feridas. Segundo a polícia, o autor estava testando o carro que o pai dele iria comprar.
Conforme o registro policial, Oliveira apresentava sinais visíveis de embriaguez quando saiu do veículo. Ele fez o teste do bafômetro, que apontou índice superior de álcool no sangue do que o permitido por lei. Com isso, foi preso em flagrante e indiciado por homicídio doloso em acidente de trânsito. Na análise do delegado Diego Bini, que pediu a prisão, o motorista embriagado assume o risco e a responsabilidade.
ESTATÍSTICAS
Segundo dados da SSP (Secretaria Estadual de Segurança Pública), dos 721 homicídios no trânsito na RMC em 2013 e 2014, apenas seis foram classificados como dolosos. A SSP foi questionada sobre o assunto por telefone e e-mail, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

Comente isso! Comentar

  • Avatar de Caio
    por Caio dia 31/10/13 às 10:47

    Esse quadro ficou muito bem elaborado, onde após alguns segundos você consegue notar o quanto ficamos focados, tentando ler o que está escrito, e esquecemos de todo universo ao seu redor ... Parabéns pelo trabalho.

    Responder